quarta-feira, 21 de março de 2012

5 motivos para acreditar no Brasil (e 5 para não acreditar)

Estamos vivendo uma época de transformações significantes no Brasil, sobretudo ná área econômica. Essas mudanças nos fazem pensar se um dia esse país fadado ao fracasso chegará a ser alguma coisa que preste. Para isso, vou apontar 5 fatores que nos levam a crer que o País será uma grande potência mundial. Infelizmente, indicarei 5 motivos para você tirar o seu jegue da chuva.



1. Reservas de Água - o Brasil tem as duas maiores reservas de água do mundo. O primeiro, Aquífero Alter do Chão, está localizado no subterrâneo dos estados do Pará, Amapá e Amazonas. Com 85 mil km³, poderia abastecer a população mundial 100 vezes. O segundo, Aquífero Guarani, que se estende do estado de Mato Grosso até o Uruguai, guarda 55 mil km³, suficiente para abastecer a população atual do Brasil por 2.500 anos. Segundo apontam estudos, a água (ou falta dela) será o motivo das próximaS guerraS mundiaiS. Com uma reserva dessa magnitude, de um bem dessa preciosidade, é claro que podemos enxergar o País como uma futura potência.

2. Estabilidade Econômica - Para quem nasceu nos anos 80 / 90,essa estabilidade é uma coisa comum, mas quem se lembra dos anos pré Plano Real sabe que a realidade era completamente outra. Depois do Real, o Brasil passou por grandes provas: Crise do México e seu efeito tequila, em 1994; Crise Econômica da Russia, em 1998, a "marolinha" da Crise Mundial de 2008. As crises vem e vão, e a economia do país permanece "quase" inabalada.

3. Petróleo - em uma época em que muito se fala sobre escassez de Petróleo, é muito positivo saber que o litoral brasileiro tem imensos poços do ouro negro. É tanto petróleo que, se for provado que toda reserva que se imagina existir exista de fato, o Brasil passa figurar na lista de países com maior produção de petróleo do mundo.

4. Biodiversidade - o Brasil é o país que contém a maior biodiversidade do Planeta, tanto na flora quanto na fauna. Essa diversidade de animais, vegetais e microorganismos tem um potencial econômico incomensurável. Além disso, novas descobertas de usos para tais organismos pode ajudar a desenvolver a agricultura, pecuária e pesca. Isso sem falar das possibilidades na indústria farmacêutica, na fabricação de medicamentos e cosméticos.

5. Pluralidade Cultural - a história do Brasil foi construída com sotaques de praticamente todos os lugares do mundo. Muito antes da globalização, o país já era uma aldeia global, com colônias japonesas, alemãs, italianas, árabes e espanholas. Isso, sem falarmos dos patrícios de além mar, dos holandeses que quase nos dividiram e dos africanos e índios, intimamente ligados às nossas origens como nação. Essa multiplicidade de etnias ligada a hospitalidade brasileira é extremamente benéfica. É fácil dizer que, como a América, aqui também é a Terra da Oportunidade. Talvez hoje muito mais que na gringa.



1. Pacto Colonial - Vocês perceberam que a maioria dos motivos acima relacionados se baseia em extrativismo? Perceberam que o que temos de melhor são riquezas naturais e continuamos sendo exportadores de matéria prima como no período em que eramos formalmente uma colônia de Portugal? Além de minérios, exportamos grãos, carne, jogador de futebol, etc. Um país que quer crescer tem que investir no desenvolvimento industrial e tecnológico.

2. Educação - o que investimos em educação é ridículo. O Ensino fundamental e médio da rede pública é uma piada. A remuneração do professor é uma piada ainda mais sem graça. O Ensino Privado, entretanto, é caro. No Ensino Superior não é diferente. O governo não tem capacidade de gerar vagas públicas e compensa gerando vagas em universidades privadas. Nas IES estatais, a imensa maioria dos alunos é oriunda de escolas do setor privado. Por outro lado, uma política educacional que visa números ao invés de qualidade foi implantada anos atrás, facilitando a proliferação de instituições de qualidade duvidosa.

3. Violência - apesar de a maioria gostar de fechar os olhos para isso, nós vivemos em uma situação de colapso da segurança. Nós temos territórios invioláveis pelo poder público, milícias e quadrilhas, grupos de extermínio, cartéis de jogo e facções de tráfico. Some-se a isso uma desigualdade social abissal, e temos um inferno de violência digno de países em guerra civil.

4. Corrupção - o que chamamos de "Jeitinho Brasileiro" é lido por todos os outros países como corrupção. O povo brasileiro, e não só seus políticos, é extremamente corrupto. Arrisco a dizer que, só pode dizer que é honesto aquele que já teve chances reais de se beneficiar ilicitamente e se negou a fazê-lo. É claro que corrupção não é uma exclusividade brasileira, mas a forma como ela se dá é especialmente danosa. Não existem licitações desvinculadas de interesses escusos. O dinheiro é desviado para um ou para outro em cada transação comercial feita em território nacional. A corrupção é tanta que até um estado foi inventado para facilitar o desvio de verbas.

5. Mano Menezes - se o cara não for tirado da Seleção agora, nem campeões do mundo em uma Copa feita em casa nós vamos conseguir ser.


O post de hoje foi uma sugestão do Arthur Piccolo (@arthur_piccolo).

terça-feira, 20 de março de 2012

Mundo Zumbi (Contem alguns spoilers de TWD)

Ontem assisti o season finale de "The Walking Dead" e não resisti. Depois de um longo e tenebroso inverno (ê frase feita), resolvi postar alguma coisa no Blog.


Como diriam os Nerds, "minha cabeça explodiu". Isso porque eu nunca li a HQ e não sabia que rolava uma penitenciária. A última cena mostra o que provavelmente será a locação da terceira temporada e isso foi diretamente de encontro ao que eu falei (twittei) dias antes.

Eu arquitetei um plano de sobrevivência para o caso de um holocausto zumbi e vou expôr para vocês alguns detalhes enquanto o pessoal do Jovem Nerd não lança o guia definitivo de sobrevivência contra zumbis - Protocolo Blue Hand: Zumbis (estou aguardando ansiosamente).

1. Unir para fortalecer: Quando vi o episódio "Triggerfinger" (S02E09), onde Rick e cia encontram outros vivos na cidade, pensei logo que eles estavam indo para a direção errada. Por mais que haja uma grande probabilidade de existirem conflitos internos, o caminho mais indicado é o de aglutinar um número cada vez maior de vivos. Ainda mais vivos com armas automáticas. Rick matou os outros vivos quando deveria ter se juntado a eles. Na minha concepção de salvação, montar um exército forte e bem armado é um dos pontos fundamentais.

2. Um local seguro: . A Fazenda de Hershel nunca me pareceu um local seguro. Por que diabos aquela galera acreditou que uma cerca de madeira e um punhado de arame farpado fosse barreira para uma horda de zumbis? Desde o início eu disse que eles precisavam construir uma fortaleza inexpugnável. Eu pensei (e até twittei) sobre uma cidade fortificada isolada dos zumbis. Me parece agora que o Robert Kirkman foi mais ligeiro, pois na HQ essa cidade já existe e na verdade é uma penitenciária! Perfeito!!! Já está tudo lá. Sistemas de segurança, armas, veículos, etc. Me lembrei de algum dos livros do André Vianco, em que os personagens moravam em cidades fortificadas impenetráveis para os vampiros.

3. Esqueça a Democracia - Achei também que o Rick demorou muito para dar uma de macho e avisar ao grupo que aquilo ali não é uma democracia. Nem em contos de fadas existe democracia (sempre é monarquia). É fato que a maioria das pessoas não tem capacidade de tomar decisões acertadas nem em situações simples, quanto mais em momentos de tensão absoluta. Naquele grupo que sobrou no final da última temporada, o Rick é o mais capacitado. Mas se ele tem esperança de sobreviver mais um pouco, vai ter que se comportar mais como Shane do que como Rick.
Não há lugar para "Nice Guys" aqui!

4. Nem compaixão, nem apego: Numa circunstância de apocalipse zumbi, essas palavras não existem. Eu sou completamente contra o aborto (é uma opinião minha), mas uma mulher grávida num mundo desses é uma ameaça à sobrevivência do grupo. E outra, nunca, em hipótese nenhuma, volte para buscar alguém. A não ser que você esteja querendo se matar. As chances dessa pessoa estar viva é inversamente proporcional às chances de você sobreviver ao resgate. Ou seja, é bem provável que tanto você quanto a pessoa morram.

5. Nunca ficar confortável: Tanto na ficção, como na vida real, é quando baixamos a guarda que o pior acontece. Não pense você que os zumbis não sofrerão mutações. Já vimos zumbis corredores em A Madrugada dos Mortos (Dawn Of The Dead: 2004 - Zack Snider) e isso é só o começo. Tem filme que as zumbis fazem até streep-tease. Por isso, as defesas devem sempre estar se modernizando para uma eventual surpresa.

Esses eram princípios básicos que eu tinha em mente para uma tentativa de final feliz. Mas uma coisa me pegou desprevenido: o segredo que Rick guardou para si desde que saíram de Atlanta. TODOS ESTÃO CONTAMINADOS.
Bom, se todo mundo está contaminado e basta morrer para ressurgir como zumbi, nada do que você e seu grupo fizerem garantirá a segurança. Imaginem que um cara em perfeito estado está em seu quarto na cidadela fortificada e tem um ataque cardíaco. Você pode sanar a situação uma, duas ou até três vezes, mas uma hora vai dar merda. Pode ter certeza!

Isso me fez lembrar de outra coisa. Pensei em um filme de zumbi que tenha um "final feliz" e só me lembrei de um: A Volta dos Mortos Vivos (The Return of the Living Dead: 1985 - Dan O'Bannon), onde no final o exército joga uma bomba atômica na cidade e extermina todos os zumbis. Porém, não obstante, todavia, o meu camarada Cavalcanti me abriu os olhos para um fato que, do alto dos meus 9 anos, não pude enxergar. O que acontece quando se joga uma bomba atômica? Bingo para quem disse Chuva Negra. Caralhas, se é justamente com a chuva gerada pela cremação dos zumbis que o cemitério é contaminado, porra, esse é o final mais fuderoso para a humanidade.


Beleza, agora que já falei (escrevi) um monte de abobrinha sobre zumbis, sintam-se a vontade para dar sugestões de como se proteger do holocausto zumbi!
 
Clicky Web Analytics