quarta-feira, 20 de julho de 2011

Nada mudou (Mais do mesmo)



Em 1985 eu fiquei frustrado por ser ainda muito novo e não ter podido ir ao Rock in Rio. Queria ver AC/DC, Iron Maiden, Ozzy, Scorpions, Whitesnake e todas aquelas bandas que a gente gosta quando é criança. Hoje, confesso que dessas, só talvez AC/DC me faria ir a um show, mas eram todas bandas de rock.

Não obstante, aquela edição do evento já tinha suas pérolas que faziam com que o nome do festival fosse, no mínimo, inadequado. Ou vocês não se lembram (ou talvez nem fossem nascidos) dos shows homéricos de Ivan Lins, Ney Matogrosso, Elba Ramalho, Gilberto Gil, Alceu Valença e Moraes Moreira, entre outros.

Analisando hoje em dia, dá para entender que o festival precisava de atrações nacionais e que o Brasil era (e ainda é) bem pobre no quesito Rock n' Roll. Mesmo assim, ainda seria difícil entender a presença de James Taylor, Al Jarreau e George Benson.

Anos depois, fiquei na mesma frustração por não ter grana para ir ao Rock in Rio II, no Maracanã. Queria assistir Guns n' Roses, Faith no More, Sepultura e Megadeath, banda que marcaram minha adolescência. Talvez o line up da segunda edição estivesse mais apropriada para o título, mas eu me perguntava: Por que New Kids on the Block? Por que Alceu, Moraes e Pepeu? Por que Information Society?

O primeiro Rock in Rio que eu poderia ter ido (porque tinha grana e idade) foi o 3, em 2001. Alguns amigos foram ver a decadência do Guns n’ Roses. Outros curtiram o R.E.M. e Foo Fighters. Eu preferi rir pela TV. Gostei das apresentações viscerais de Carlinhos Brown e Daniela Mercury, Milton Nascimento, Elba e Zé Ramalho, Moraes Moreira e Gilberto Gil. Mas nada se comparou ao dia 18 de janeiro, quando 240 mil pessoas se aglomeraram para ver 'N Sync, Five, Sandy e Junior e Britney Spears.

Quando achei que nada mais me chocava, encerra-se a primeira fase de Rock in RIO e se inicia a fase Rock in RIO in LISBOA. Que tal se o nome fosse só Rock in Lisboa? Ou, o que seria melhor, Festival de Música Eclética de Lisboa? Porque, meus amigos, pasmem, Gilberto Gil estava lá. Firme e forte! Com ele estavam Daniela Mercury e Ivete. Mas, verdade seja dita, o set de atrações do Rock in RIO LISBOA foi muito melhor do que qualquer um feito no Rio.

Seguiram-se ainda as versões II, III e IV em Lisboa e dois Rock in Rio Madrid, que tinha de Franz Ferdinand a Miley Cyrus.

Hoje, acompanho uma ou outra notícia anunciando atrações para o Rock in Rio 2011, mas sem conseguir ficar chocado. Não consigo ter raiva do Rubens Medina. Não consigo achar nada mais do que graça nas notícias e no entusiasmo juvenil na expectativa do mega show. Acho que estou ficando muito velho e calejado. Também, depois de ver Carlinhos Brown com seu corpo fechado, fica difícil se irritar com um evento de Rock que tem como atrações Claudia Leitte e Rihana. É, não fico alarmado ao ver o anúncio de Ke$ha, ou a confirmação de Shakira. Estou em estado de estupor. Vejo a notícia e dou um risinho de canto de rosto. Tudo é legal. É só mais do mesmo!

10 comentários:

Grandes Filmes disse...

Tucano,
Fui no Rock in Rio 3 exatamente no dia do REM.

Era a primeira vez que eu ía para o Rio de Janeiro e foi uma aventura chegar e voltar lá da Jacarepaguá.

O show do REM foi muito bom. Nunca curti muito Foo Fighters e Beck, mas foram interessantes também.

Fernanda Abreu deu vontade de se matar, mas pelo menos usamos o tempo do show para ir comer pão com hamburguer e catchup (não tinha mostarda) e tomar coca "mijoca" pequena a 6 reais.

Teve ainda Cássia Eller e Barão Vermelho, no palco principal. O show da Cássia Eller, apesar de não ser rock, empolgou a galera. Barão é aquela coisa...,

Já no palco lateral, vi Nando Reis, Penélope e Sá & Guarabira"... No show deste último, vários bicho-grilos arrastando as sandálias para lá e para cá... O Azaghal ia adorar!

No final, eu curti.

Ah... e a venda de ingressos via internet estava começando por aqui. O site estava cheio de problemas e, por algum motivo obscuro, eu recebi duas vezes o par de ingressos que tinha comprado.

leonardobozzano disse...

Nunca foi Rock in Rio de verdade. Concordo com tudo aí Tucano!

Gabriel Almeida disse...

Jay-Z, Ke$ha, Katy Perry, Maria Gadú e orquestra sinfônica, Nx Zero (vão tomar mais limões na cabeça), Cláudia Leite e Ivete Sangalo. E o evento se chama ROCK in Rio .-.
Mas em compensação, teremos System of a Down, Motörhead, Red Hot Chilli Peppers, e Metallica e Slipknot (pra quem gosta de Slip, porque eu não muito). Lemmy vai ter o ÁRDUO trabalho de salvar o festival...

Natan disse...

Sò discordo de uma coisa: o Brasil não é nada fraco no quesito rock n roll hoje em dia. Um pouquinho mais de informação sobre o que acontece no cenário local (sem se orientar por Mtv, rádios mainstream e TV Globo)e qualquer um se dá conta de que nosso país tem uma cena underground muito foda, que vem crescendo desde os anos 80, justamente quando os artistas internacionais começaram a vir pra cá. O doc "Ruído das Minas" ou o "Botinada" (o primeiro sobre o metal em MG e o outro sobre a cena punk no Brasil) mostram que não perdemos em nada pra nenhum país em termos de qualidade e quantidade de bandas de rock.

Vinicius disse...

É, Brasil é muito bom em Rock.

Mas naõ há duvida que o nome Rock in Rio é pra atrair o pessoal do rock, com algumas bandas de rock e etc, mas o povo que tá pouco se fodendo, só quer dar uma olhada no astro do momento, vai lá e vê a Ivete ou a Kesha... Essa porras.

Tudo pura mercadoria.

Marco disse...

"e que o Brasil era (e ainda é) bem pobre no quesito Rock n' Roll."


Discordo. Barão Vermelho, Engenheiros, Legião, Paralamas, Ultraje, Titãs, Kid Abelha, Blitz, RPM...

Dionelson/Dino's disse...

Nada contra sua opinião, mas o festival sempre teve seu lado que nos faz questionar o por que do nome ser Rock in RIO, a única coisa que eu gostaria de expressar é algo que aprendi com um colega de escola: boa parte do pessoal que reclama nem tem dinheiro para ir em todos os shows, então vai nas bandas que gostar e pronto não precisa ficar esculachando o lado pop do festival(não é o seu caso ao meu ver.). E ser for comparar o cenário do rock mundial ao brasileiro... tenho nem palavras para definir...

Lucas disse...

Acredito que todos que gostam de música deveriam assistir esse vídeo
http://www.youtube.com/watch?v=5lRKXx-17Ck

Baseado nos conceitos de "Indústria Cultural" e "Arte sem Sonho" cunhados por dois filósofos alemães da Escola de Frankfurt, Theodor Adorno e Max Horkheimer , esse trabalho propõe uma reflexão sobre a relação da arte e de seu consumo na sociedade contemporânea.

Ajuda a entender o que acontece com a música hoje em dia...
Se gostarem ajudem a divulgar o link para que mais pessoas possam refletir sobre o assunto

Obrigado pela atenção, Um Abraço a todos

Nikita disse...

Já me revoltei muito com essas atrações toscas do Rock in Rio, mas resolvi ligar o foda-se. Não vai adiantar reclamar, pois o evento precisa dar retorno financeiro e a verdade é que essa galera q a gente tanto odeia DÁ DINHEIRO!

Prefiro simplesmente cagar e andar pra essas atrações fora do contexto e aproveitar o que realmente presta, afinal, onde eu vou conseguir ver 3 puta shows num dia - Motorhead, Slipknot e Metallica - por apenas 90,00?

Bjs da Nikita

Anônimo disse...

vc queria ver Iron Maiden mesmo nao gostando do bruce ?... quem canta bem é o axl rose ne ? seu modinha do caralho .. metido a punk filho da puta

 
Clicky Web Analytics