terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Maníacos do Transfer



Primeira estampa do carimbador maluco...

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

O Fantástico Mundo dos Idealistas

Em primeiro lugar, devo deixar claro que não sou Professor de História, como sugeriram nos comentários do post anterior. Eu só gosto muito de estudar História, mas leciono Publicidade e Propaganda em uma Universidade e, ao contrário de alguns colegas idealistas militantes, apaixonados por seus partidos políticos, nunca tentei influenciar meus alunos em sala de aula para votarem em A ou B. Sei que possuo uma posição privilegiada como docente, porém não uso isso para manipular suas intenções.

Mas vamos ao que interessa:

Ser idealista é muito bonito. Quantos artistas vocês conhecem que não são socialistas atuantes? Poucos, né? A maioria é super-engajada, atuante nas campanhas eleitorais e tudo mais. Os outros são meio que renegados. O ganhador do prêmio Nobel de Literatura desse ano, Mario Vargas Llosa, disse: "Tem artista que nem é de esquerda, mas diz que é. Porque se um artista não é de esquerda, vão encher o saco dele até o fim." Ele ainda completa com uma experiência própria: “Quando rompi abertamente com Cuba, parecia que eu tinha contraído a peste.”

O que em Cuba fascina tanto esses idealistas a ponto de eles fecharem os olhos para as atrocidades cometidas pelo último governo ditatorial das Américas? Deve ser a mesma coisa que fascina os idealistas que acham que Hugo Chaves é um democrata e que Lula não sabia do mensalão. Ou talvez a máxima do pensamento maquiavélico de que "os fins justificam os meios".

Eu tenho sido criticado, não por artistas, mas por jovens de inclinação socialista que me já me chamaram de fascista, alienado, repetidor da grande mídia, Capitão Nascimento (essa foi boa! haaa),ignorante, etc. E sabe o porque das críticas? Por ter expressado a minha opinião a respeito de um assunto público. Não posso?

Essas pessoas são tão retrogradas que ainda usam os termos que saíram de moda nos anos 70, como burguesia, proletariado, guerra de classes. Esse é um mundo de fantasia onde a Revolução é a única saída? Eles esquecem que o empresariado está do lado do Lula, ou vocês se esquecem que o José Alencar foi vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria. É evidente que o empresariado está com o Lula e isso, por si só, não é vergonha nenhuma. O empresariado quer que o povo tenha dinheiro no bolso e é exatamente isso que o Lula faz. O poder aquisitivo não subiu?

Mas voltando ao assunto, quem está me criticando não me conhece e não conhece a minha história. Quem me ataca assim, dessa maneira, e diz que nunca passei fome, não tem idéia do que eu já passei (inclusive fome). Não sabe que se hoje eu tenho condições de viver uma vida confortável é porque eu trabalho diariamente 10 a 12 horas. E é pouco, já que minha mãe chega a trabalhar 15 a 17 horas por dia. Se isso não é o tal proletariado, eu sinceramente não sei o que é?

Essas pessoas, que me chamam de fascista de direita, disso, daquilo, não sabem que minha candidata no 1º turno era a Marina Silva, que não tem absolutamente nada de direita. Pelo contrário, esteve no Governo Lula, à frete do Ministério do Meio Ambiente, até que o nosso querido presidente Lula puxasse seu tapete!

Aliás, meu candidato na eleição de 2006 era o Cristovam Buarque, que também não tem nada de direita e foi um ótimo Ministro da Educação, no Governo Lula, até ser demitido por telefone. O Sr. Lula demitiu por telefone o cara que inventou o Bolsa Escola. Vocês entenderam bem isso?

E, antes que os direitistas venham me crucificar por ser um comunista enrustido, deixo claro: meu voto não é idealista, não é partidário, não é apaixonado. Meu voto é racional! Voto em quem acredito, independente do viés ideológico. Voto em quem tem propostas. Se o cara pisa na bola, perde meu voto.

O que uma minoria não entendeu é que eu fico tão nauseado com um governo populista que faz o Projeto Singapura para esconder a favela, quanto com um governo populista que ao invés de botar o povo para trabalhar e receber um salário decente, fica entupindo os cidadãos de bolsas sem contribuir para o desenvolvimento das regiões que habitam.

Falei em um post da minha repulsa ao Auxílio Reclusão, onde a família do preso ganha até R$798,30 por mês pelo simples fato de o chefe da família estar preso. Escrevi: "Nunca na História desse país, se deu tanto dinheiro para a família de criminosos." E logo vieram as críticas: "Sua opiniao, pelo o que entendi, é que a família do preso que se foda?" Não, minha cara, eu quero é que esse infeliz que cometeu algum crime trabalhe na cadeia (coisa que não fazia fora) para sustentar sua família. Não quero eu sustentar a família de bandido! Só isso.

Mais uma coisa de que me acusam é de ser PSDBista. Apesar do apelido, eu não tenho partido (como já disse antes). Mas vejo com pena aqueles que criticam o governo PSDB sem saber o que estão falando. Eu concordo que o PSDB é extremamente fraco no quesito Educação e concordo que a aprovação continuada é um câncer que deve ser extirpado. Também não defendo a honestidade dos integrantes. Nenhum partido que se alie ao DEM pode ter a ficha limpa! Aliás, nenhum partido tem a ficha limpa. Agora, tem coisas que as pessoas se esquecem ou não sabem. Comparem o Governo FHC com tudo o que vimos antes dele. O Lula só conseguiu desenvolver a economia do Brasil porque a inflação estava domada. Eu cresci vendo um preço de manhã cedo e outro no final da tarde. Eu já tive que comprar carne com ágio no mercado negro, no tempo do Sarney, que hoje é aliado do Lula.

E vem gente falando da privatização da Vale: a empresa passou de cabide de empregos mal administrada para uma das maiores empresas do mundo. Eram 15 mil empregos, agora são 55 mil. A produção aumentou de 35 milhões de toneladas por ano, para 165 milhões depois da privatização. Isso gera impostos. Agora, se quiserem criticar o valor da negociação e/ou onde esse dinheiro foi parar, aí sim acho justo! Tem que investigar!

Não estou aqui para ordenar como devem se portar ou pensar (mesmo porque não tenho esse poder), mas em primeiro lugar, me respeitem e não me acusem de coisas que não sabem. Isso é se igualar aos candidatos que criticamos tanto. Notem que nenhum comentário foi deletado e que eu publico tudo o que vocês escrevem. Em segundo lugar, ponderem, analisem, reflitam e não tratem política como futebol. Nesse caso, a paixão atrapalha, pois não conseguimos enxergar os defeitos dos nossos pares, só os dos nossos opositores.

Um abraço e continuem discutindo para evoluir.

domingo, 24 de outubro de 2010

Resposta: Por que a classe média é tão burra?

Não deveria nem dar atenção a esse tipo de papinho, mas não resisto. Um cara veio aqui e publicou o seguinte comentário:

"aconselho a vocês lerem esse post, pra ver quem sao os verdadeiros alienados da historia: http://doisdeagosto.com/2010/10/07/por-que-a-classe-media-e-tao-burra/"

Em primeiro lugar, da próxima vez, faça um favor à sociedade e assine seu comentário. Post anônimo é coisa de quem tem medo ou vergonha do que pensa e fala.

Em segundo lugar, esse papinho anos 70 já está para lá de ultrapassado. Esse negócio de luta de classes é uma babaquice que os pseudotrabalhadores intelectuais de esquerda usam para se beneficiar.

Em terceiro, o texto que você indica diz o seguinte:

"...qual o problema com o pessoal da Classe Média, por que são tão burros e insistem em apoiar políticos que só querem tomar o poder para beneficiar meia dúzia de amigos bem nascidos, seus familiares inescrupulosos e aqueles que os financiam?"

Em que mundo você vive? O filho do Lula tem contrato com empresas estatais, o filho da "Braço Direito" da Dilma tem vários contratos com estatais, os ministros são todos escolhidos pela fidelidade e não pela competencia.

Acorda para o mundo, meu camarada! Vira homem (ou mulher).

Você é o alienado na história!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Para ler antes da Eleição

Hoje me deparei com um seguidor do Twitter me questionando sobre o que eu realmente penso sobre a democracia. Ele perguntou isso baseado no meu post de 2007 - Democracia x Tirania Esclarecida.

O post comentado foi escrito de forma sucinta para levar à tona uma declaração que o Marcola, aquele líder do PCC, fez na época. Eu já tive oportunidade de falar sobre isso em podcasts, mas acho que aqui é o melhor lugar para exprimir minhas idéias pessoais.

Em primeiro lugar eu devo deixar claro que considero a democracia o regime ideal de governo no plano da realidade. Também considero que é o sistema mais justo, já que os principais interessados, no caso o povo, tem o direito de decidir quem vai governá-lo. Não obstante, a democracia é um sistema um tanto ineficaz.

Explico:
Você deixa uma criança fazer o que quiser? Você deixa uma criança tomar suas próprias decisões como o que comer, a hora de dormir, atravessar a rua sozinha? A resposta, invariavelmente, será não. A resposta é fácil, pois o raciocínio é simples: a criança não sabe que se ela comer todos os dias no Mc Donalds ela vai ter sérios problemas no aparelho digestório. A criança não sabe que tem que ter uma alimentação balanceada para ter saúde.

O povo é igual. Se pudesse, ficava só com o Big Mac e o brinde do Mc Lanche Feliz. Isto é, o povo não tem instrução suficiente para saber o que é o melhor para ele. Ele quer uma bolsa, não um emprego. Ele quer a batata frita, não o brócoles.

A democracia funciona bem em países onde a população é esclarecida e tem instrução. Em um país sem educação básica, o povo elege o Tiririca, o Paulo Salim, os Mensalistas, os Aloprados, os Coronéis do Norte e Nordeste. O povo elege tudo o que há de mais nocivo à saúde e à sociedade. E, na maioria das vezes, elege porque ganha alguma coisa em troca. Uma dentadura, um cargo público, uma bolsa, um vintém.

Quando falei da Tirania Esclarecida, parafraseando um criminoso, que apesar de ser um câncer na sociedade, tem seu mérito intelectual, eu estava falando utopicamente. Como aqueles que sonham com o socialismo e esperam Papai Noel no Natal.

O que daria certo no Brasil é o governo de uma elite imune ao vírus da corrupção, que tivesse amplos poderes para tomar medidas impopulares sem ser ameaçada pelo povo e que entendesse que o caminho não é o assistencialismo e sim a educação e o desenvolvimento do trabalho. Tal qual um pai rígido que ao invés de mimar o filho e dar-lhe mesadas, põe a criança para aprender e se esforçar para conquistar seus sonhos.

Lógico, isso é utopia. Não existe uma elite assim que não se corrompa, ou que tenha força para impedir a corrupção. A natureza humana é impiedosa nesse sentido. Todos nós, por mais idealistas que sejamos, sempre encontramos uma brecha para uma regalia. Para uma exceção. O pior é que na maioria das vezes ainda pensamos: eu mereço um pouco de privilégio, pois faço muita coisa boa para todos. E assim se inicia a corrupção do poder. Note que não é o poder que corrompe o homem. É o homem, que já é corrupto e egoísta por natureza que corrompe o poder.

Isso pode ser provado analisando as biografias de Lenin, Stalin, Hitler, Che, Fidel... Todos muito idealistas, mas que transformaram seus "reinados" em verdadeiras catástrofes históricas.

Por isso, como frisei no início do texto, apesar de achar que o povo brasileiro não tem maturidade para decidir o que é melhor para ele, penso que o único sistema possível é a democracia.

Então, tudo o que peço a vocês, é que reflitam muito antes de votar, porque vocês que estão lendo este post são uma elite. A maioria teve acesso à boa educação e à informação e podem escolher seus governantes de forma um pouco mais consciente do que essa massa manipulada que é o povo brasileiro.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Top 10 Vídeos do You Tube

São sei se me esqueci de algum, ou se cometi alguma injustiça, mas acho que esses foram os 10 vídeos mais maneiros da curta históra do You Tube.





















Se lembrarem de algum mais emblemático que esses, por favor, dêem a dica!

domingo, 4 de julho de 2010

Por quê Dunga?

Vou explicar aqui porque estou na contra mão do senso comum brasileiro. Em primeiro lugar é porque eu não costumo ver televisão, então fico um pouco mais isento da opinião nojenta da Globo.

Em segundo lugar gostaria de lembrar da Copa passada. Fenômeno, Imperador, RC, Gaúcho, etc. Arrisco dizer que desde 1982 o Brasil não reunia um grupo de jogadores tão habilidosos e renomados. Lembrem do Quadrado Mágico. Lembrem do 3 x 1 em cima da Argentina em Belo Horizonte. Mas lembrem-se também do que aconteceu na Copa.

De que adianta um grupo cheio de craques que se apresentam fora de forma, que fazem festa ao invés de concentração, que se embriagam e jogam sem condições?

De que adianta um técnico experiente e vitorioso(Parreira)se é permissivo e fecha os olhos para o abuso? De que adianta um técnico renomado que deixa os repórteres entrarem em campo durante o treino, transformando o que seria a preparação da equipe em uma verdadeira Disneylandia jornalistica?

Pois bem, quando o Dunga foi chamado para treinar a seleção eu torci o nariz. Mas depois entendi que ele tinha o perfil para acabar com aquela bandalheira. Acabar com a falta de comprometimento. O outro que tinha o perfil para a missão era Felipão, que até então, tinha definido que não voltaria para a Seleção enquanto o Ricardo Teixeira lá mandasse.

E o Dunga fez isso. Renovou a seleção. Retirou o câncer que estava encrustado no coração da seleção. Chamou jogadores medianos, mas não abandonou quem era portador do futebol arte. Robinho, Elano, Kaka, Julio César, Maicon, Lúcio...

E o Dunga fez mais. Ganhou a Copa América, ganhou a Copa das Confederações, classificou o Brasil em primeiro lugar nas eliminatórias e teve o melhor retrospecto entre os treinadores brasileiros. Além disso, peitou a Globo. E isso foi seu maior erro.

Eis que dois jogadores despontam para o Brasil jogando um futebol arte, futebol moleque, futebol bonito. Ganso e Neymar surgem com incríveis partidas contra Ituano, Monte Azul, Grêmio Prudente, etc. E, os 190 milhões de técnicos brasileiros clamam uníssonos as alcunhas das revelações. Meninos da Vila na seleção!!!

Fácil a situação: dispense 2 jogadores que acompanharam a seleção durante 4 anos e coloquem esses dois novatos no lugar. Aliás, não precisa ter experiência na seleção, afinal jogador bom, joga bem na seleção e no clube, né? Que o diga Rivaldo, Giovanni e até o Ronaldinho Gaúcho.

Só tem uma coisa que as pessoas também não sabem. O Neymar, por exemplo, ja jogou um mundial pela seleção. Foi a sub 17 de 2009 e ele foi até a fase classificatória (opa, é a primeira fase). Pena que o Brasil não fez bonito. Foi um sofrido 3 x 2 no Japão e duas derrotas para México e Suiça! Pena também que, por exemplo, contra o México, o Neymar não jogou nada e foi substituído. Talvez ele jogue melhor contra os mais velhos! Talvez ele não seja assim um salvador da pátria!

Mas o Dunga perdeu a Copa. Na cabeça da maioria, simplesmente porque não levou Neymar e Ganso. Talvez até porque não tem experiência. Ou porque é muito teimoso. Pera aí, Parreira e Felipão eram menos teimosos? Acho que não! Mas o Dunga perdeu a Copa. Isso basta para crucificação.

Enfim, talvez o Dunga não seja um gênio (tenho certeza que não é), mas eu prefiro perder a Copa desse jeito, do que por causa dos fanfarrões da Copa passada. E para o lugar do Dunga, eu lanço a campanha do Dorival Junior, que com certeza vai fazer a torcida mais feliz (ao menos a dos Santistas).

terça-feira, 25 de maio de 2010

Explicações Subjetivas

Para o pessoal que entendeu tudo muito bem, dêem uma olhada nos comentários. Tem pelo menos uns 10 textos de pessoas que dizem que entenderam perfeitamente o que a série quis dizer e cada um diz uma coisa. Cada um tem sua teoria.

Deixar respostas semi abertas ou subjetivas é uma coisa. Cagar para 5 anos de série é outra. É lógico que eu posso conjecturar sobre os mistérios e arranjar várias respostas bem plausíveis. No entanto, nenhuma delas será a resposta "verdadeira". Se era para nós escolhermos o final (tipo Você Decide), não precisava ter a 6ª temporada.

E vejam, eu achei as cenas do último capítulo bem emocionantes. Mas para me emocionar eu alugo um drama e em 2 horas tenho uma overdose de emoção. O que se esperava (e o que se prometia) para o final da série eram respostas. E essas respostas não foram dadas. Foram deixadas para que cada um acreditasse na sua própria teoria.

na minha opinião, os produtores nos fizeram trabalhar de graça. É como histórias contadas por parábolas. Cada um interpreta como quer e não existe uma verdade. Desculpem-me, mas a série que eu assistia era sobre mistérios e não era sobre auto-ajuda!

Final de Lost - Contém Spoillers!!!!!

Fazia tempo que eu não escrevia aqui, mas esse é um momento único e minha indignação está extrapolando os limites do bom senso!



Não se pode negar que Lost entrou para história como um marco na televisão mundial. Uma trama excitante, ótimos atores, cenas fantásticas e emoção a dar com rodo.

Não me lembro (provavelmente porque não houve) de ter me prendido tanto a um programa de TV como fiz nesses 5 anos de Lost. Junto com os amigos (reais e virtuais), passei anos discutindo, debatendo, imaginando teorias para os mistérios da Ilha.

Era de se esperar que o final não fosse como o esperado. As expectativas eram muito grandes e seria difícil atendê-las. Mas, nem nos meus piores pesadelos imaginei um final tão esdrúxulo como o que vi essa madrugada.

Vou marcar alguns pontos que me desagradaram profundamente. Lembrem-se, essa é só a minha opinião pessoal:

Flash Sideways – esse foi o grande erro dos roteristas. Eu falei no início da 6ª temporada que esses flashs teriam que ser uma parte importantíssima na trama, pois “roubavam” metade de cada episódio. Dito e feito: os flashs só serviram para dar um final novela das 8h para a série. Ao invés de explicar muitas coisas, mostraram um mundinho perfeito para ter o final feliz.

Pontas Soltas – não me venham falar que alguns mistérios serão explicados no DVD, porque isso é uma afronta. Eu quero ver a história ser contada na série e não em um DVD meses depois. Várias pontas ficaram soltas e vou listar algumas que me indignaram.

- Por que a Ilha estava submersa no primeiro capítulo da sexta temporada? Esqueceram de explicar isso? Ou só não deu tempo?


- Por que o FLocke estava preso na Ilha? O que o impedia de sair como os outros? Richard saia, Jacob saia... Por que ele “teoricamente” não saia? E se o objetivo dele não era sair da ilha e sim destruí-la, por que ele passou a temporada se lamentando dizendo que queria sair?

- O que aconteceu com o Aron? Por que ele não podia ser criado pelo Jack? Por que ele era tão especial? Por que não explicaram porra nenhuma?

- E o Walt? Um grande potencial. Os “Others” fizeram de tudo para seqüestra-lo por que ele era mega importante e no entanto, deixaram ele ir embora e viver uma vida normal.

- A Mitologia da ilha foi esquecida. Quando vimos pela primeira vez um pé de estátua com 4 dedos, todos ficamos loucos. E a fumaça? As aparições do Jacob pequeno? O que tinha na água que fez o Sayid virar Zumbi? Por que o avião da Ajira tinha que ter a mesma configuração do Oceanic? Tantas pontas perdidas...

- E os números? Ficaram só na equação Valenzeti mesmo? A Ilha não tem nada a ver com isso. Eles eram tão freqüentes no início da série e depois o que aconteceu? Perdeu a graça?

- E uma coisa talvez me tenha passado despercebida, mas ainda não descobri o porquê: Qual o motivo do Ben surtar e resolver matar o Locke de repente?


Mas, talvez, as pontas soltas não tenham sido o pior. Se formos analisar, o número de incongruências é demais. Nós sabíamos que alguns furos poderiam aparecer, mas não tantos e tão importantes.

- Foi o Jacob que trouxe os “candidatos” para a Ilha? Ou foi o Desmond que não apertou o botão e derrubou o avião?

- A fumaça não podia sair da ilha, mas apareceu para o Jack no hospital (ativou até o alarme de fumaça), apareceu para o Michael no cargueiro também. Se não era a fumaça, era o que? O Christian Shephard?

- A fumaça estava presa no corpo do Locke? Então como ela apareceu para o Ben com a aparência da Alex?

- Quem estava preso pedindo por socorro na cabana do Jacob? Era o próprio Jacob ou era a fumaça? A fumaça não poderia ser, porque ela estava solta tocando o terror na Ilha.

- A escolha dos candidatos também se tornou um imbróglio detestável. A Kate não podia porque se tornou mãe, mas a Sun e a Clair estavam na lista. Inventa outra história.

- Por que a Dharma continuava mandando comida para a Ilha se não tinham mais funcionários lá?

- E o buraco da luz. A velha disse que se alguém entrasse naquele lugar, veria algo pior que a morte! Jacob joga o irmão lá e ele vira fumaça. Já o Jack entra e não acontece nada. O Hurley entra e porra nenhuma. O Ben Linus (que era um personagem tão maneiro e estragaram) entrou no buraco e nem um arranhão. Aliás, essa parte (do interior do buraco) era desnecessário explicar.

No final, realmente só faltou um casamento. Se bem que eles já estavam na igreja (apesar de estarem mortos) e de casaizinhos. Foi quase um fim Manoel Carlos.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Caro Cão que atenta,

Não sei se você soube, mas o Arruda foi solto. Do mensalão nenhum foi preso. Palocci é prefeito, Maluf é deputador e Collor senador da república.

O Brasil não está tão moralizado como você diz. Prova disso é a CBF entregar a "taça das bolinhas" para um clube que atestou em documento a vitória do Flamengo em 1987.

O bairrismo que você diz existir na imprensa Rio/São Paulo deve ser o mesmo bairrismo que você demonstra nos seus longos textos.

Oficialmente, quem descobriu a América, em 1492, foi Cristovão Colombo. Mas, qualquer um, com um pouco mais de cultura, sabe que é provado que Erik, o vermelho, um navegador norueguês, chegou ao continente americano pelo menos 500 anos antes.

Nem tudo o que é oficial é verdade. O Sport venceu o módulo amarelo. O Flamengo venceu a Copa União. Qual dos dois campeonatos deve ser considerado? O que estavam TODOS os campeões do Brasieliro até então (exceto o Guarani), ou o que estavam os times que sobraram?

Só para terminar, caso você não saiba, o Sport Club Recife entrou já há algum tempo para o Clube dos 13 e para tanto assinou um documento reconhecendo o Flamengo como Campeão Brasileiro de 1987.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Explicação do PVC sobre a Copa União

A história começa em 1986.

Até aquele ano, os campeonatos estaduais eram classificatórios para o Brasileiro. Os seis primeiros de São Paulo, os cinco primeiros do Rio, os dois melhores do Mineiro, do Gaúcho, do Pernambucano, os campeões estaduais de outros estados se classificavam.
Assim, entre 1980 e 1986, o Brasileirão teve 40 clubes na primeira divisão (Taça de Ouro, Copa Brasil) e quatro que se classificavam do torneio de acesso (Taça de Prata, Torneio Paralelo, nome oferecido em 1986).

Em 1986, a CBF prometeu mudar o sistema e criar, para 1987, a Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro. Os 24 melhores de 1986 formariam a Série A do ano seguinte.
Terminado o campeonato, a CBF mudou de idéia. Primeiro, afirmou que não tinha condição financeira de promover o torneio. Foi quando os grandes se rebelaram e fizeram o movimento que criou o Clube Dos Treze. Os fundadores (Flamengo, Fluminense, Vasco, Botafogo, Corinthians, Palmeiras, São Paulo, Santos, Grêmio, Internacional, Atlético Mineiro, Cruzeiro e Bahia) anunciaram que disputariam um campeonato próprio, organizado por eles mesmos.
A CBF, então, se mobilizou e anunciou que faria o campeonato com 40 clubes. Os grandes fizeram uma composição com a CBF, mas criaram a Copa União, com a participação, também, de Santa Cruz, Goiás e Coritiba. A CBF criou o regulamento, que previa o cruzamento de campeão e vice do Módulo Verde (Copa União) com campeão e vice do Módulo amarelo (a suposta segunda divisão).
O Clube dos 13 dizia que não disputaria o cruzamento, a CBF dizia que haveria o cruzamento. Essa confusão se deu porque o representante do Clube dos 13 na CBF era Eurico Miranda. O Eurico aceitou o acordo com a CBF, mas, quando informou a direção do Clube dos 13, este recusou veementemente. O campeonato começou com a CBF dizendo que haveria o cruzamento, o Clube dos 13 dizendo que não aceitava e que não disputaria.
Nesse ínterim, o Brasil inteiro assistiu à Copa União como o Campeonato Brasileiro, sem dar muita atenção ao que aconteceria no final do ano. A TV Globo transmitia para o Brasil inteiro, um jogo por rodada sorteado quinze minutos antes da partida começar, às 17h do domingo. Pernambuco também vivia assim, porque acompanhava o Santa Cruz no torneio.
E assim o Flamengo venceu o Brasileirão, a Copa União, em 13 de dezembro de 1987. No mesmo dia, o presidente do Flamengo, Márcio Braga, um dos líderes da criação do Clube dos Treze, reafirmou que não haveria cruzamento.
Enquanto isso, no mesmo dia, Guarani e Sport se classificaram para a decisão do Módulo Amarelo, decidido nos pênaltis. O empate persistiu tanto que ao chegar aos 11 x 11, nas cobranças de pênalti, os dois presidentes decidiram que o torneio terminaria empatado. Sport e Guarani foram proclamados campeões empatados do Módulo Amarelo pela CBF. Tinham a perspectiva de disputar o cruzamento com Inter e Flamengo.
No início de 1988, a CBF fez a tabela. Sport e Guarani entravam em campo nas partidas marcadas contra Inter e Flamengo. Sem adversário, eram proclamados vencedores por W.O. Na decisão do “Campeonato Brasileiro”, o Sport enfrentou o Guarani, empatou o jogo de ida por 1 x 1, em Campinas, venceu no Recife por 1 x 0, gol do zagueiro Marco Antônio. A CBF proclamou o Sport campeão brasileiro de 1987.

Agora vai minha opinião:
Flamengo campeão legítimo de 1987, porque o Brasil inteiro acompanhou a Copa União como o Campeonato Brasileiro.
O Sport não pode ser descartado, porque é oficial.
E eu preciso contar a história inteira. Por isso, embora eu julgue o Flamengo o campeão legítimo, quando me perguntam, digo: Flamengo e Sport são campeões de 1987. É o único jeito de alimentar a curiosidade e contar a história inteira, como todo mundo merece saber.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Amazing Race (ou History)

Nesse feriado de semana santa, tive mais uma das minhas idéias mirabolantes. Convidado para um evento cósmico em Gonçalves-MG - O CHURRASTRA - decidimos ir de moto. Uma NXR Bros 150cc!
Fiz revisão, troquei o óleo, arrumei o farol, calibrei o pneu com 22T e 29D (essa foi uma informação difícil de eu achar e quero compartilhar hehehe) e partimos, eu e minha consorte, Bárbara, rumo à aventura de nossas vidas.
Saímos de Santos-SP em direção à Gonça-MG às 12h40 e, segundo o Google Maps, o destino ficava a 287Km, indo pela Rod. Carvalho Pinto.
Google mentiroso

A viagem entre as cidades foi tranquilíssima. Só pegamos um chuvisco em Cubatão, mas isso é normal. O resto da estrada foi de sol ou no máximo um céu nublado.
Chegamos à abençoada cidade de Gonçalves às 18h10, onde percebemos que o Google tinha nos enganado. Gonça fica à mais de 300Km de distância. Percebemos também que só os celulares da Vivo funcionam (eu e a Bárbara temos Oi). Paramos no tradicional Bar do Marcelo, em frente à Igreja Matriz e batemos um rango de cidade do interior: misto quente com queijo minas.
Quando eram umas 19h30 e a noite já cobria nossas existências, fomos para a casa onde ficaríamos alojados. Nosso anfitrião havia feito um mapa com referências, pois a casa é bem afastada da cidade. Aliás, eu já tinha ido para lá uma vez e me lembro que com uma chuva fina, a estrada de terra tinha ficado uma M. e o carro (uma Sportage) atolou no barranco.
Fomos para o tal caminho que levava à casa. Era uma estrada de terra bem larga, mas sem nenhuma iluminação. Além de não ter postes de luz, ainda rolava umas árvores de copas frondosas que impediam até a luz do luar de nos iluminar a passagem. Eu só enxergava o que estava bem a frente da moto.
O caminho tinha aclives e declives, além de curvas bem fechadas e estava difícil ler o mapa na escuridão. Eventualmente, encontrávamos alguma pousada com a porteira iluminada e era nesses momentos que aproveitávamos para olhar o mapa.
Eis que em uma dessas pausas, minha mulher olhou para uma movimentação atrás de nós e viu que dois cães estavam em nosso encalço.
- Acelera, Nando!!!!! cachorro, cachorro!!!
Sem titubear ou questionar o motivo da aflição, acelerei o mais rápido possível e fugimos dos cães.
Seguimos em frente e passamos por um vilarejo chamado São Sebastião das Três Orelhas. Porque três orelhas? Não me pergunte! Deve ser coisa de extraterrestre!
Depois do vilarejo as coisas só pioraram. Em um determinado trecho, eu parei a moto, porque no meio da escuridão eu vi dois olhos brilhantes. Joguei o farol no bicho, mas ele ficou mal iluminado. Pela altura e pelo formato da cabeça, pensei que era um lobo guará. Minha mulher achou que era uma raposa. O bicho ficou em posição de ataque e eu resolvi acelerar! Seja o que Deus quiser!!!!
Na verdade era só um cachorro em cima de um barranco e ele não fez nada. Mas olhamos para ele mais de perto e, realmente, ele tinha uma cara de raposa do caralho!
Finalmente chegamos à igrejinha de tijolos que marcava a entrada da trilha que ia para a casa.
Pera aí... Trilha? Caraca, eu tinha esquecido completamente. Nós tínhamos que sair da "estrada principal de terra" para entrar (por uma porteira) numa estrada secundária.
A estrada secundária era sensacional. Nessa só tinha espaço para passar um carro de cada vez. Nós tínhamos percorrido pouco mais de 8Km, mas o relógio já marcava mais de 20h30 e nos embrenhamos na trilha.
Foto da Estrada Principal de dia

Poucos metros depois de adentrarmos ao caminho, o primeiro atoleiro. Passei com vontade, jogando lama para tudo quanto é lado. Aliás, devo exaltar a motinho que, contrariando todos os prognósticos malvados, foi guerreira e passou pelos obstáculos.
Ao todo foram 4 atoleiros que passamos patinhando de um lado para outro, correndo um enorme risco de ficarmos pelo meio do caminho ou cairmos de cara no barro.
Continuamos seguindo na escuridão total até passarmos o primeiro mata-burro, que era nossa primeira referência!
Depois do mata-burro, nos deparamos com uma subida mega íngreme com a estrada repleta de pedrinhas que quando a estrada está seca, só serve para nos fazer derrapar ainda mais! Com muito esforço, conseguimos subir o aclive.
Mas foi só para depois descobrirmos que logo após uma curva, tinha uma subida ainda mais íngreme e extensa.
Pânico se instalando na minha companheira de viagem.
- Você não me avisou que era assim!!! Grunhiu ela numa voz fina e quase chorosa.
- Eu não lembrava disso - respondi, tentando manter a calma.
Acelerei e fui subindo. Quando estávamos à uns 50m de vencer a subida, a moto começou a ficar sem potência e eu pensei que estava em segunda marcha. Desacelerei para diminuir a marcha, mas ela não estava lá. Foi meu único e derradeiro erro. Eu já estava em primeira e nessa manobra a moto perdeu totalmente potência e começou a escorregar para trás.
Os dois pés no chão e a mão puxando o freio a disco com toda a força não foram o bastante para parar a descida desgovernada da motoca.
- Se conseguir pular, pula - disse eu desesperado.
Minha mulher pulou e ainda tentou ajudar a segurar a moto. Infelizmente, contra as leis de Newton ninguém pode e a moto só parou num barranco.
Nos levantamos e constatamos que não estávamos (muito) machucados. A moto estava desligada e naquele momento, só a parca luz das estrelas nos iluminava. Um breu de dar medo.
Levantei a moto e liguei-a novamente. Esse foi um momento digno de filme de terror. Quando liguei a moto, o farol iluminou atrás da minha mulher um touro negro em cima de uma pedra, bem a frente no nosso caminho.
Boi da cara preta de dia já é agressive. Imagina a noite

- Não olha agora, mas tem um touro atrás de ti - alertei.
A Bárbara começou a chorar desesperada. Olhou para trás e viu a figura imponente dos bovino.
- Vamos embora, por favor! Pediu ela.
Mas eu sou muito cabeça dura para desistir de uma idéia assim "tão fácil".
Descemos a ladeira e subimos na moto. Peguei um embalo e fui!!! A moto foi bem devagarzinho e fomos vencendo a subida lentamente. Passamos pelo touro numa velocidade irrisória.
Quando chegamos ao topo da subida, que terminava em uma curva, percebemos que ela NÃO TERMINAVA e continuava por mais uns 25m com uma inclinação ainda maior. A moto aguentou e nessa hora eu senti orgulho de mim, porque foi uma tarefa dificílima controlar a potência na embreagem.
Quando chegamos na parte plana eu comecei a gritar:
- Conseguimos, conseguimos!
Me lembrei do final do filme Creep Show, quando o jovem acredita que venceu o monstro de óleo do lago.
Virei uma curva e me deparei com nada menos do que 15 vacas e bois deitados na pista. Minha mulher estava de olhos fechados e fui obrigado a trazê-la de volta à realidade.
- Bárbara, olha isso.
Ela voltou a chorar copiosamente, pedindo para voltarmos.
Eu buzinei, acelerei, cheguei mais perto, mas os bois não estavam muito afim de se levantar e liberar a estrada.
Puta merda, vamos ter que voltar - pensei.
Depois de chegar tão perto (naquele momento, faltavam pouco mais de 800m para chegar na casa), estávamos voltando. De novo: descidão, mata-burro, atoleiro, cão-raposa, escuridão e cidade!
Ficamos esperando na cidade até de madrugada, mas nossos anfitriões, que deveriam chegar às 23h, pegaram congestionamento e se atrasaram.
Tomei bronca (com razão):
- Tem noção que se acontece alguma coisa com a gente na estradinha, a gente não tem celular, não tem uma viva alma (tirando os bois) e nem luz? Gritou a patrôa.
Desistimos de esperar e fomos procurar uma pousada. A busca foi sem sucesso, pois as pousadas estavam todas lotadas. Todas, menos uma, que ficava ao lado da praça da Igreja Matriz.
Entramos na Pousada do Sol e fomos atendidos pelo Seu Henrique, um senhor que parecia uma assombração. Pagamos o quarto e fomos descansar. Mas a porta não trancava e eu não iria dormir achando que o Seu Henrique iria entrar a qualquer momento com um cutelo na mão. Depois de várias tentativas, conseguimos trancar a porta e dormir.
No outro dia, logo cedo, resolvemos tentar a sorte novamente.
- De dia é tranquilo! Garanti.
Mais uma vez passamos pela estrada principal, pelos atoleiros, pelo mata-burro pela subidona e chegamos ao ponto dos bois.
Desta vez fomos mais intrépidos, pois os bois estavam de pé e tinha espaço entre eles para passarmos.
- Fecha os olhos e pensamento positivo - gritei, acelerando a moto.
Passamos no meios dos bovinos, buzinando e acelerando até chegar ao segundo mata-burro.
Finalmente chegamos à casa para passar uma agradabilíssimo final de semana no campo, regado à muito elixir e néctar de TRA!
Galera de Kruashtron Tra

Para finalizar, choveram dois dias (sábado e domingo) e a estradinha ficou ainda mais perigosa. Fizemos a volta para Santos em 7h30min, com um bom pedaço debaixo de chuva, mas agora estamos bem e inteiros!

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Eu também quero o Neymar na Seleção...


...mas ele tem 18 anos e pode esperar mais um pouquinho.

Que ele é craque todo mundo já sabe, mas o problema é outro. Em minha opinião, devemos pensar mais no ambiente do que na técnica. Por isso, acho um ABSURDO cogitarem a convocação do Ronaldo Gaúcho para a Seleção. Sem contar dos aposentados do Corinthians, Ronaldo e Roberto Carlos.

Explico: depois do pífio desempenho do Brasil em 2006, clamou-se por renovação. Chamaram o Dunga para botar um fim nessa corja de milionários sem motivação que acharam que ganhariam a copa sem suar a camisa.

O Dunga montou uma seleção sem os figurões e esse grupo venceu tudo que tinha para vencer. Copa América, Eliminatórias, Copa das Confederações, os jogos contra a Argentina...

Seria uma escrotice se depois do trabalho duro feito por Luis Fabiano, Elano, Robinho, Nilmar e cia, chegassem os "medalhões" sub 40 e ocupassem os lugares mais cobiçados do futebol mundial.

Por isso, acho que o Neymar vai ser o cara na copa 2014. Por enquanto, vamos deixar como está e manter a harmonia na seleção.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Auxílio Reclusão



Recebi hoje um email de uma amiga e pensei logo: lá vem mais uma daquelas lendas urbanas via WEB. Digo isso porque, tanto oposição quanto situação, são dadas à caluniar os opositores fazendo comparações absurdas, divulgando fatos inexistentes, etc, através de emails com fontes duvidosas ou inexistentes.

Pensei que era apenas mais uma artimanha para fazer oba oba na internet. Não obstante, quis provar que aquilo tudo era uma baboseira e responder a toda a lista de emails que aquilo era mentira. Fui procurar no nosso amigo google algo sobre Auxílio Reclusão. O email dizia que era algo sobre uma ajuda a família de quem está preso.

Pasmem, é tudo verdade!!!! Quando você ouvir algum tiozinho reclamando que paga imposto para sustentar presidiário, avise que ele também paga para sustentar a família do presidiário. É o Bolsa Crime.

É lógico que não é para todo preso. Tem que se enquadrar em algumas exigências, mas de qualquer forma, é um veradeiro BOLSA CRIME. A partir de 1º de janeiro desse ano, já estão pagando com reajuste!!! A bolsa é de R$798,30 por mês, quase R$300 a mais que o Salário Mínimo! Assim dÁ para o filhinho comprar cigarro e levar para o papai no xadrês.

É, meus camaradas, Nunca na História desse país, se deu tanto dinheiro para a família de criminosos.


Quem duvida clica AQUI

sábado, 9 de janeiro de 2010

O Cavalo de Tróia dos Direitos Humanos

O Programa Nacional de Direitos Humanos, por enquanto um documento de intenções do governo Lula, é uma espécie de cavalo de tróia.

Por fora, é belo e atraente; por dentro, embute (mas não oculta) uma série de anomalias institucionais, que comprometem o direito de propriedade, a liberdade de imprensa e de expressão e, no fim das contas, o próprio conceito de direitos humanos.

O texto relativiza o direito de propriedade, legitimando invasão e ocupação de terras, urbanas e rurais, em nome da justiça social. Justiça, como democracia, dispensa adjetivos.

Em 1964, o lendário advogado Sobral Pinto reagiu ao termo “democracia à brasileira”, emitido pelo presidente Castello Branco, dizendo que não existia tal regime.

Existe, disse ele, “peru à brasileira”, “farofa à brasileira”, mas democracia é ou não é. No caso, disse ele, não era. E não era mesmo.

Mais tarde, o presidente Geisel sustentou o conceito de “democracia relativa”, igualmente combatido em nome da mesma lógica, que se aplica, sem tirar nem pôr, à justiça.

O que é justo dispensa complementos, que servem apenas para relativizá-lo.

O tal Programa escora-se nos termos “justiça social” e “direitos humanos” para, a pretexto deles, restringir liberdades e centralizar poderes no Executivo. Tudo – ensino, imprensa, produção editorial, artes cênicas, propriedade - passa a depender deles, de maneira incondicional, à revelia dos limites da lei.

É legítimo e indispensável que o país, que possui a maior extensão contínua de terras agricultáveis do planeta, discuta e empreenda uma reforma agrária.

Mas não significa que essa demanda tenha que ser atendida à margem da lei, sobretudo quando se vive num Estado democrático de Direito, com leis específicas regulando o acesso à terra e estabelecendo restrições à propriedade improdutiva.

Até aqui, a tentativa de reforma agrária na marra apenas conspirou contra a reforma agrária. Não há como obtê-la senão pela lei ou pela revolução.

Como a segunda hipótese implica a supressão da democracia, o temor com o tal Programa é justificado.

A paz no campo não será obtida ignorando cláusulas pétreas da Constituição. E é o que tem ocorrido. Há uma CPI instalada no Congresso, a do MST, para investigar exatamente isso.

A invasão e destruição de propriedades produtivas, incluindo laboratórios de pesquisas, equipamentos e moradias de trabalhadores, têm ocorrido com freqüência aterradora.

Em alguns estados, como o Pará, os governantes simplesmente ignoram liminares e decisões judiciais de reintegração de posse, em nome da justiça social.

Os movimentos ditos sociais, pelo simples fato de se declararem como tais, têm seus atos legitimados independentemente de seu conteúdo.

Como se não bastasse, há questionamentos sobre o uso dos recursos estatais e privados que sustentam esses movimentos, que deles não prestam contas.

A própria instalação da CPI do MST foi contestada a partir do argumento de que não se deve tocar nos movimentos sociais. Muito ao contrário, um movimento com tal responsabilidade não pode gerar dúvidas sobre suas ações e objetivos.

Mas o Programa Nacional de Direitos Humanos, que mexe na Lei de Anistia, responsável por 30 anos de paz política, vai ainda mais longe: quer regular os veículos de comunicação, que têm sido os grandes paladinos na defesa dos direitos humanos.

O inciso I, alínea d, do Programa, estabelece como “objetivo estratégico”:

“Elaborar critérios de acompanhamento editorial a fim de criar ranking nacional de veículos de comunicação comprometidos com os princípios de Direitos Humanos, assim como os que cometem violações”.

E vai por aí, ao estabelecer idênticas metas no ensino, na formação das Forças Armadas, no financiamento de obras de arte e cultura etc.

Nesse quesito, o texto estabelece a meta de “incentivar a produção de filmes, vídeos, áudios e similares, voltada para a educação em Direitos Humanos e que reconstrua a história recente do autoritarismo no Brasil, bem como as iniciativas populares de organização e de resistência”.

Ou seja, pretende, além de tudo – e em nome da causa - reescrever a história do país, sob o prisma dos patrocinadores.

Eis aí o cavalo de tróia, em cujo interior conspira-se contra a democracia, sem a qual não há direitos humanos.

Em suma, o conteúdo nega a embalagem.

Copiado e colado na íntegra do blog Noblat http://oglobo.globo.com/pais/noblat/
 
Clicky Web Analytics