sábado, 11 de abril de 2009

Compartilhamento vs Pirataria


Devido às discussões via comentários, vou postar aqui a minha opinião sobre isso: Ching Lee, um empresário chinês monta uma fábrica de DVDs e os fornece para a Philips. Eis que seu filho Chong tem uma brilhante idéia: produzir os DVDs já gravados com filmes feitos por produtoras de Hollywood. Ching e Chong passam a vender para o primo Xau Ping, que mora em São Paulo e esse distribui para camelôs da 25 de março. Ninguém aí pagou direito autoral ou imposto, mas ganharam uma bela grana. Isso é o que chamamos de PIRATARIA.

Já Vinícius era um fã incondicional de Iron Maiden e comprava todos os albuns da banda. Ele tinha um amigo de nome Tobias que era igualmente fã da banda. Porém, ele não tem dinheiro para comprar os LPs. Por isso, toda vez que o Iron Maiden lançava um album novo, Tobias comprava uma fita K7 e ia para a casa de Vinícius para gravá-lo. Isso é o que se chama compartilhamento.

Agora pense: quando você baixa músicas na internet, você baixa de uma pessoa que botou o arquivo na rede. Não há transação comercial, apenas compartilhamento. No caso de músicas, o artista não é lesado, pois a venda de discos nunca foi fonte de renda dele. Os artistas ganham dinheiro em shows. A venda de disco é para enriquecer as gravadoras, que aliás, cobram preços absurdos para o consumidor.

A venda disco era interessante para os músicos como forma de divulgação. Quer maior divulgação do que milhões de pessoas compartilhando essas músicas via web?

Mais para frente falaremos sobre baixar filmes.

13 comentários:

Manoel disse...

Qual a definição de pirataria? Deixar de pagar direitos autorais ou ganhar dinheiro com trabalho de outras pessoas? Nos dois casos o artista não recebe os direitos autorais, ou seja, as duas são pirataria, ou as duas não são.Se perguntar pro camelô da "25 de Março" ele provalvemente vai dizer que não está piratiando.
Seguindo esta logica programa baixado via internet, não é pirata.

Guilherme disse...

Amém, Tucano.

M3G4 BOG4 disse...

cara vc mandou bem demais. A visão depende do observador.

Jack disse...

Calma, Manoel. Vamos discutir mais sobre isso! E esse, é só meu ponto de vista...

Paranoid Android disse...

Boa, Tucano. Gostei do ponto.
Dia 17 tem o resultado do julgamento do The Pirate Bay. Tamos de olho.

Bruno Vox disse...

A pirataria de arquivo de áudio na web já está massificada, acabou, as gravadoras perderam, não adianta mais "xilicar".
.
É como o Fernando disse, os artistas ganha dinheiro é com shows, conheço um pseudo artista gospel que cobra R$10.000 livre por show e seu CD é vendido a R$12,00, se ele tirar R$ 5,00 desses 12 é muito. Então para ele obter R$10.000,00 reais da venda do CD, ele teria que vender 2000 CD´s.
.
O que as gravadora precisam fazer é se adaptar a esse novo sistema.

nerdherd (david) disse...

Polemicas a parte, Cara você tem um poder de sintese enorme. Eu já escrevi em blogs isso e quase nunca me faço entender, bem.

Sou do meio juridico e posso te dizer que até por aqui isso gera polemica, e como estamos no Brasil, imagina como não é a influencia das grandes produtoras nisso tudo??


"pirataria é crime!! não roube navios!!"

Paulo disse...

pois é, concordo!

Paulo - http://colorscreen.blogspot.com/

ema-blog disse...

concordo tucano, o lance de filme, por ex. eu tenho centenas de video de skate em VCD que baixei da net, mas pra mim eu não faço pirataria, se eu quiser os video com ótima qualidade terei que IMPORTAR OS DVD... o que é muito dificil

Fábio Martins disse...

viva o download

Andréa Pietro disse...

Boa questão, Tucano! Eu sempre considerei que, "para uso pessoal", ou seja, a velha história de gravar uma fita na casa do amigo, não era pirataria, pois não se está obtendo lucro em cima do trabalho alheio. Sou fanática por música, tive toneladas de LPs e K7s, hoje em dia tenho montes de CDs e de MP3 também. Tem bandas que faço questão de comprar, outras não.
Mas... Também tenho uma banda e um CD independente gravado. No caso, o que ganhamos vendendo o CD, vem para o nosso bolso, para cobrir os gastos com a gravação. E tenho vários amigos e um marido que também têm bandas independentes. Faço questão de comprar os Cds de todos eles (nunca ultrapassa 10 reais), pois sei que pesou no bolso na hora de gravar. Falei tudo isso para demonstrar o quanto me sinto dividida na hora de comentar esse assunto... Pois também concordo que, sem a divulgação em massa pela internet, não só a nossa banda, mas uma grande quantidade delas permaneceria anônima e não venderia um mísero CD.

Skull disse...

Olá Jack

Você sintetizou muito bem a questão. Sou desta geração que cresceu gravando fitas K7 do Iron Maiden de amigos mais abastados. Entendo que naquela época, isso não representava perda alguma para a indústria fonográfica. Hoje o buraco é mais embaixo. Afeta os ganhos milionários das gravadoras. Essas empresas precisam perpetuar o seu negócio de alguma forma. Acho válido essa lógica, agora tenho de concordar que o modelo de negócio das gravadoras não se sustenta mais atualmente.

Thiago disse...

Do meu ponto de vista é pirataria quando voce ganha dinheiro com a obra de terceiros. Quando voce compartilha copias caseiras sem finslucrativos nao é pirataria.

 
Clicky Web Analytics