quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Setembro Negro

Lembram da OLP de Yasser Arafat, que eu citei no post anterior? Pois bem, em 1970 o Rei Hussein, da Jordânia, viu que estava se formando um Estado Palestino dentro de seu país e o culpado era o comandante palestino Arafat, pois além dos refugiados das 3 guerras árabes-israelenses, agora moravam por ali os guerrilheiros da OLP.

A OLP explodia bombas em Israel e voltava para a Jordânia antes que os judeus soubessem o que estava acontecendo, seqüestravam aviões e pousavam em Amã, para posteriormente explodí-los com os reféns dentro. Isso não era bom para a Jordânia, que tinha suas fronteiras violadas pelo exército de Israel (por culpa da OLP).

O rei, em nome da soberania de seu país e também porque estava tentando ficar com a barra limpa em Washington, começou a expulsar os militantes da OLP de seu território.

Em setembro de 1970 o Exército Real Jordaniano (apoiado por Israel) declarou guerra aos guerrilheiros palestinos, resultando em um verdadeiro massacre de civis. O saldo desse enfrentamento foi de cerca de 10 mil mortos e a expulsão dos paramilitantes de solo jordaniano.

As nações árabes foram contra o episódio, que ficou conhecido como Setembro Negro. Principalmente a Síria, que com apoio soviético, chegou a posicionar seus tanques e atravessar a fronteira jordaniana para apoiar os palestinos.

A paz só foi restabelecida através de um acordo assinado no Cairo e Yasser Arafat e a OLP mudaram-se para o Líbano.

Próximo Post: Guerra do Yom Kippur

Nenhum comentário:

 
Clicky Web Analytics