sábado, 10 de janeiro de 2009

Comandante Yasser Arafat e a OLP


É impossível dividir a figura de Yasser Arafat de sua luta pela causa Palestina. Também é prepotência querer resumir sua biografia em um post. Fica aqui um resumão, pois saber que foi esse homem é vital para a compreensão dos próximos capítulos.

Mohammed Abdel Rahman Abdel Raouf Arafat al-Qudwa al-Husseini (ou simplesmente Yasser Arafat) dizia ter nascido em Jerusalém, a 4 de agosto de 1929. Sua certidão de nascimento dizia que ele havia nascido no Cairo, 20 dias depois. A verdade não se sabe, mas o que interessa é que jamais houve um líder que encarnasse tão carismaticamente o sentimento nacionalista palestino.

Arafat estudou Engenharia Civil na Universidade do Cairo e durante seus anos de Facu, integrou a Irmandade Islâmica, da qual foi presidente de 1952 a 1956. Nesta época, estreitou sua relação com Mohammad Amin al-Husayni (conhecido como Mufti de Jerusalém), um importante líder nacionalista palestino.

Já engajado na causa palestina, serviu ao exército egípcio durante a Guerra de 1948 e a Guerra do Suez (1956). Após a Guerra dos Seis Anos foi viver no Kwait, onde participou da criação do Fatah, uma organização que tinha como objetivos a criação do Estado Palestino e a Destruição de Israel.

Em 1969, Arafat passou a presidir a OLP (criada 5 anos antes) e dedicou décadas de sua vida à ataques terroristas, sabotagens e ações paramilitares estratégicas que resultaram em um banho de sangue de ambos os lados. Esse fato o levou a ser louvados pelos mulçumanos e perseguido por Israel e seus aliados.

A OLP trabalhava como uma frente de facções palestinas radicais (como Fatah e Hamas) no exílio e por diversas vezes precisou mudar de sede, se instalando na Síria, Jordânia, Tunísia, etc.

Com seu inseparável turbante e sua pistola na cintura, Arafat foi temido e admirado e chegou a ganhar um Prêmio Nobel da Paz, mas isso é uma outra História. Por ora, o que se precisa saber é que o terrorismo de Israel era combatido com o terrorismo de Arafat e de sua OLP.

3 comentários:

b disse...

"Olho por olho, dente por dente", é uma idéia que tanto israelitas quanto palestinos ou muçulmanos alimentam há milênios.
Isso não vai acabar nunca.

Jack disse...

B, você está corretíssimo.

Olho por olho, dente por dente é uma parada chamada Lei de Talião.

Isso vem desde a época da Babilônia (1700 e caralho antes do Cristie) e nunca vai mudar!!!!

CDREI disse...

Os judeus sobrevivem até hoje no oriente médio através de manobras políticas - isso já foi bem explicado nos post anteriores.

E se toda essa história não já fosse tão bizarra, eles promovem uma espécie de holocausto contra o "povo" "nação" "palestina", mesmo depois de terem sofrido os horrores desse ato...

Na violência contra a Palestina não nada de guerra cirúrgica, eles destroem escolas, mesquitas, mercados... Nas áreas urbanas usam armas que geram estilhaços para matar ou mutilar o maior número de pessoas... É todo um Estado Constituído contra um povo (às vezes divido) que se vale apenas do "nacionalismo".

São muros, cercas, tanques...

 
Clicky Web Analytics