terça-feira, 10 de junho de 2008

Futebol, negócios e ibope


Finalmente o Flamengo (meu time de coração) tem um time competitivo. Temos um bom goleiro, dois excelentes laterais, vários jogadores habilidosos no meio campo e "centenas" de atacantes. Será que agora vai?

Eu acho que sim, mas isso não tem nada a ver com futebol.

Essa é uma discussão que eu sempre tenho com o ámigo "Arabes no Poder". Por que torcemos? Por que nos desesperamos? Por que sofremos tanto por algo que, se analisarmos racionalmente, sabemos que não vale a pena.

O futebol é resolvido em 60% fora de campo. Alí, onde só entra gente graúda, homens com cartola na cabeça... Tudo isso é um jogo de interesses. Dinheiro, ibope, transações milhonárias, etc.

Eu vejo torcedores apaixonados brigando por seus times, acusando times adversários, juízes, federações, dirigentes, emissoras de TV. Vejo isso todos os dias, no trabalho, no boteco, nas ruas. Cara, como eu queria que essa disposição toda fosse para reclamar do governo, de um senador que desvia verba publica, sei lá, reclamar de alguma coisa que seja realmente importante.

Voltando ao Flamengo, acho que seremos campeões brasileiros. Digo isso não pelo Juan e pelo Leo Moura, que estão apavorando. Nem pelo Renato Augusto, Ibson, Toró, Jônatas, Kleberson e cia no meio campo. Também não é pelo artilheiro Marcinho, o Deus da Bola Obina, o matador Souza ou o Bad Boy Tardelli. É porque já faz tempo que a maior torcida do Brasil não ganha esse título e a Globo já começou a adular. Igualzinho como ela faz com a Beija-Flor de Nilópolis (campeã de 5 das últimas 6 edições).

Vai ser feio o juiz dando aquela ajuda no apito, mas é assim que as coisas funcionam.

8 comentários:

Zuntinic disse...

É Jack, vc tem razão. Sites de apostas patrocinando times na Europa.
Amistosos de seleções em Dubai e por ai vai.
Mas os 40% que são resolvidos dentro de campo são ótimos, vc simplesmente torce para o seu time. Não temos ação sobre o resultado, não depende do nosso trabalho, do que falamos ou de quanto dinheiro temos, simplemente torcemos.

No jogo do São Paulo x Fluminense, com gol decisivo no ultimo minuto, te faz pensar que as vezes 100% são decididos dentro do campo. E olha que eu sou sãopaulino.

abraços

Jack disse...

Esqueci de dizer, Zuntinic. São 40% decididos dentro de campo. Mas o resultado não interessar, não adianta fazer 15 gols, que quem ganhou não leva!

Graffo disse...

Ah meu irmão, larga desta vida de Framenguista cara, isso faz mal

aleatoriorandomico disse...

Eu acho que futebol é que nem religião. Exista uma certa necessidade biológica de torcer para um time, se apoiar em algo para se alegrar e entristecer...

Mesmo com toda maracutaia por trás.

o/

Jack disse...

Huahuahua

Graffo, se ser flamenguista faz bem, o que faz mal??? hehehehe

Japonês, seu comentário tem coerencia! Desde que você acredite que religião é realmente necessária!

Graffo disse...

Jack que tu falo da tv é mais pura verdade, eu odeio aquelas tvs idiotas como Aqueles canal de vendas, principalmente aquele canal do gado, que eu quero com vaca viva, eu prefiro ela cortada em pedaços e temperada!

O que me interessa é FX, Discovery, History, People + Arts, coisas decentes.

Lembre-se a Lacraia é Framenguista, ahauhauha

Qlqer coisa mail me
backdoorgraffo@gmail.com

Abraços por trás

Jack disse...

Opa, que isso cara? Tu vem me falar que o(a) Lacraia é flamenguista e me manda abraço por trás? Que isso, rapá!!! Tu é sãopaulino, por acaso? hauhauhauhau

Chapolesco disse...

Vou repetir as palavras de um amigo maluco:"Futebol é o ópio do brasileiro."

 
Clicky Web Analytics