quinta-feira, 13 de março de 2008

Como Hsun-Tzu (ou, Porque não sou democrata)

Há algum tempo eu devo explicações sobre meu alinhamento político-social. Algumas vezes eu critiquei tiranos, mas ainda assim disse que não era fã da democracia.

Pois bem, vou tentar explicar. A democracia plena, como todos sabem, é o governo feito pela vontade da maioria através do sufrágio. Como maioria entenda-se o Povo. Francamente, eu considero o povo inapto para saber o que é melhor para si. Na democracia você entrega o destino de uma nação nas mãos de uma maioria que nem sempre é esclarecida, que na maioria das vezes não tem estrutura para discernir sobre o que é melhor em longo prazo.

Em suma, o povo é como uma criança bem pequena. Nenhum pai zeloso deixa seu filho fazer o que bem entende. Uma criança, assim como o povo, precisa de alguém que cuide dela. Que freie impulsos egoístas e que o eduque.

Na minha concepção, o ideal seria um governo forte e enérgico (leiam como ditadura esclarecida se quiserem) que combatesse a corrupção e a criminalidade de forma drástica (leia paredão mesmo) e investisse na educação e saúde da população.

Só com punição exemplar o cidadão começaria a respeitar as leis. Não por sua índole ter mudado e sim pelo medo das conseqüências.

Aí você vai me perguntar: "Porra, isso é Cuba. E o Jack critica Cuba e critica o Fidel!"

É aí que entra um sábio confucionista chamado Hsun-Tzu, também conhecido como Xunzi, que ao contrário de seu mestre, Kung Fu Tzu (Confúcio), acreditava na maldade inata. Eu acredito nisso: o ser humano é, se não mau, ao menos egoísta por natureza. Digo isso por diversas situações que observei e observo, mas que não incluirei nesse texto, mas posso incluir nos comentários se necessário).

Daí temos o problema que convencionou-se chamar de "O Poder Corrompe o Homem", quando na verdade é o homem é que corrompe o poder. Com base nisso, nós podemos projetar que, uma ditadura bem intencionada se tornaria em apenas mais uma ditadura em um curto tempo. Teríamos aberrações como Fidel, Pinochet, Stalin, Hitler e Mao Tsé Tung.

As conseqüências seriam apenas dejavus da história recente. O pai zeloso passa a amar o poder e suas vantagens mais do que a seus filhos e sem que se perceba o bem-estar do povo está comprometido.

Bem, como a natureza humana segundo Xunzi, não permite esse sistema, o que nos sobra é a democracia (ou a anarquia no sentido moderno e errado da palavra). Em nosso país a democracia pode não ser perfeita, mas é justa. O povo tem o que o povo merece. Nada mais, nada menos do que isso.

6 comentários:

Jack disse...

Se você leu esse post até o final, parabéns! Esse é o tipo de frequentador que eu quero para o meu blog! Abraço.

Mussini disse...

Ou seja: resta, no final do texto, que o título entre parênteses é invertido. "Porque eu não SOU democrata"...mas o país deve ser.

Fiquei aliviado... Tava ficando assustado.

Braço
Robertinho...
aquele mesmo

Fred disse...

"O povo tem o que o povo merece."

Desde que o atual presidente assumiu o poder eu tenho repetido muito a frase "Cada povo tem o governo que merece." e apesar de acreditar mesmo nisso sinto muita pena do Brasil. Eu amo meu país de verdade e acredito que um dia nós iremos aprender com nossos erros.

Gostaria de acrescentar que o Brasil teve ótimos períodos de crescimento mas sempre em detrimento de alguma coisa. A liberdade foi o preço pago durante a ditadura e a verdade durante o governo FHC. Será que um dia seremos um povo sábio (que aprende com os erros dos outros) ou continuaremos inteligentes (que aprende com os próprios erros) e em alguns casos burros (que não aprende de jeito nenhum)?

Daniell disse...

Bom, pelo menos em parte eu sei que os filósofos gregos concordavam com você. Platão e Aristóteles não eram muito afeitos a democracia por razões parecidas. Mas não acho que eles fossem mais fãs da ditadura também. Na verdade eu concorco que o povo em geral é idiota, mas idiotice pra mim é mais um estado do que um traço, ou seja, eu acredito que ela pode não ser permanente.
Sendo assim, eu penso que seria realmente interessante um estado em que algum poder competente detivesse os direitos de legislar em favor do povo idiota, mas tendo em vista que esse povo pode melhorar com o tempo. Com isso poderíamos, TALVEZ, chegar a um estado de democracia razoável, com um tempo médio de uns ...não sei, mil anos talvez, para o caso do Brasil.
Meu único problema com a ditadura é que ela rasga a constituição toda vez que se vê ameaçada. Se o seu governante pode meter o dedo na constituição em causa própria todo momento não há porque o povo não seguir o mesmo exemplo, uma vez que ele já está mais apto para esse tipo de procedimento naturalmente. Bem, talvez eu tenha outros problemas coma ditadura também... eu gosto muito de falar o que penso.

Baylor D. ( a.k.a. João Gilberto ) disse...

Como analista Político de formação, e digamos parte dos 3% da população com nível superior, posos colocar a cara a tapa, e se apanhar ter pelo menos a chance do revide verborrágico.

Concordo em laugmas partes com o texto e alguns comentários.

Tenho a seguinte filosofia, o povo realmente não sabe o que é melhor pra ele, e nós não temos as melhroes opções, claro que por mais santo que o candidato possa sser, ele nunca vai conseguir fazer todas as mudanças, pelo menos não sem dar um golpe de Estado, ledo engano da população achar que quem manda no país é o Presidente, e seus Ministros assessores e adjacentes. Infelizmente em nosso país quem mandam são os nossos escolhidos, os senadores e deputados federais, e justamente nesses é que o povo menos presta atenção na hora do voto, vamos lá, quem se lembra em quem votou para senador, deputado federal, deputado estadual, com certeza uma minoria.

Eles mandam não o presidente, não o governador, não os assessores nem os ministros.

Estamos evoluindo, paramos de vender o país, pelo menos, mais isso não é só por mudanças nos votos, o próprio povo está ficando um pouco mais sábio, ou pelo menos menos ignorante.

Temos de assumir que o Governo Lula tem os louros de ter tido a policia federal mais atuante em todos os governos, o govenro FHC tem os louros do plano Real, e o Itamar tem os louros de seu topete.

Infelizmente não existe algo entre a ditadura militar e a democracia que pudesse unir as coisas boas de uma e de outra e nos levar a um governo como gostariamos Jack....

mais há potencial...vamos ver.

abraços

Pablo Serenza Marques disse...

Seguindo a linha de pensamento o rapper Mano Brown...a sociedade é formada, em sua base, por ovelhas e leões. A natureza selvagem é dividida assim, mais fortes , mais rápidos ( hoje em ida lê-se mais aptos) que se impõe aos mais fracos, "inferiores" é assim...estamos passando por este processo lento e gradativo na escala da evolução humana.
Mas, como a maioria tem participação na escolha de muitas das funções políticas, dentro dos sistemas democráticos...fica fácil de controlar e manipular as massas. Pego um exemplo dentro da ciência da Administração, onde diz que qualquer empresa funciona adequadamente seguindo os processos, realizando a abordagem por processos. Ai pergunto: - E as pessoas da organização? Basta gerir, controlar, planejar e etc somente pelos processos? Deve-se seguir somente o processo democrático?
Preparar, educar, ensinar o povo (menos favorecido = ovelhas)ainda é a melhor saída...

 
Clicky Web Analytics